Os Maias by Eça de Queirós

Os Maias

Os Maias é uma das obras mais conhecidas do escritor português Eça de Queiroz. O livro foi publicado no Porto em 1888. A acção de Os Maias passa-se em Lisboa, na segunda metade do século XIX, e apresenta-nos a história de três gerações da família Maia. A acção inicia-se no Outono de 1875, quando Afonso da Maia, nobre e pobre proprietário, se instala no Ramalhete com o neto recém formado em Medicina. Neste momento faz-se uma longa d...


Details Os Maias

TitleOs Maias
ISBN9789725681367
Author
Release DateApr 1st, 2003
PublisherUlisseia
LanguagePortuguese
Number of pages681 pages
GenreEuropean Literature, Portuguese Literature, Fiction, Classics, Cultural, Portugal
Rating

Reviews Os Maias

  • Francisco
    2014-02-08
    It is hard to believe that I've lived this long without reading this classic of Portuguese literature. I don't understand. How can a so called semi-educated person like me go through almost a whole life time not knowing of this book's existence? There are some great reviews of this book here in Goodreads that I would urge to read to find out what the book is about. What I want to do here is simply say that this book should be read the way Don Qui...
  • Carmo
    2012-12-28
    Li Os Maias pela primeira vez aos 17 anos, integrado no programa de Língua Portuguesa, e voltei a lê-lo agora à luz da maturidade que os anos me concederam e que aos 17, obviamente, ainda não tinha conquistado.A diferença foi abismal, o que só veio confirmar a ideia que já tinha de que cada leitura, tem um tempo certo na nossa vida para acontecer e poder ser devidamente entendida. Na altura não foi mais do que um livro que nunca mais acab...
  • Emanuel
    2016-01-20
    Primeiro pensamento que me ocorre é agradecer-me a leviandade de não ter lido este livro aquando do 11° ano, iria odiar algo que me deu um gozo enorme de ler. Faltava-me um capítulo, e só pensava e pedia a Eça para me dar mais um pouco de ananás, mais um pouco de Alencar poeta democrático ou outra anedota com um trapézio. Sem ver como, estou sem chão, e Eça a atirar-me com uma carrada de ananases, poetas democratas, e anedotas. A vida ...
  • Célia Loureiro
    2011-10-19
    É o cinco de um mero mortal perante uma obra grandiosa, o que não a consagra perfeita segundo o meu gosto pessoal.Os Maias, obra-prima de Eça de Queirós e romance intemporal, foi primeiramente publicado no Porto em 1888. Popularmente falados por se tratarem de uma história de amor incestuoso com uma introdução exageradamente descritiva, onde é apresentada ao leitor a casa da família Maia. De facto, da primeira vez que tentei ler o romanc...
  • Lene
    2012-08-03
    Proclamar este livro como a obra-prima da Literatura Portuguesa, é o mínimo que poder-se-á fazer com justiça. Apressada e superficialmente estudado no ensino secundário, sendo que se encontra incluído na temível designação "Leitura Obrigatória", deve, contudo, ser apreciado profundamente, com calma, pois cada um dos seus capítulos, cada um dos seus parágrafos, cada frase, em suma, é de uma riqueza, de uma escrita maravilhosa. Por det...
  • Carolina
    2012-06-30
    Circunstâncias de leitura: Livro de Leitura e Estudo obrigatório no 11º ano----------------------------** 1ª reação: "Adorei: divinal, sublime, fantástico..." **----------------------------Opinião:Sempre ouvi falar deste título: 'Os Maias' e também sempre me indaguei que segredos guardaria tão GRANDE livro. Finalmente descobri!! :DEsta obra, de Eça de Queirós, fala sobre uma família aristocrática beirã ao longo de 4 gerações, fo...
  • Maria João
    2015-10-02
    9,5 de 10*Terminada a leitura de "Os Maias", assiste-me um misto de sentimentos: por um lado, sinto uma espécie de saudade, após 13 dias mergulhada nas páginas deste livro, torna-se difícil desprender-me destas personagens e desta época. Por outro lado, sinto orgulho, porque li a obra integral. E digo isto porque existe um enorme estigma em redor desta obra (e de outras também) porque é de leitura obrigatória na escola e todos (ou quase t...
  • Carina
    2017-03-01
    Adorei a história, a escrita e a ironia do Eça! Pode ter sido uma leitura obrigatória mas gostei muito!
  • Celeste Corrêa
    2015-06-21
    “Os Maias” nas palavras de Jacinto do Prado Coelho – Para a compreensão dos Maias como um todo orgânico in Ao Contrário de Penélope, Amadora, Livraria Bertrand, 1976“Os Maias encerram um pensamento, destinam-se a fazer pensar. Com ironia grave, alertam sobre os perigos do amor-paixão, põem em dúvida a justeza dos “espíritos fortes” (pois não teve razão Vilaça ao prevenir de que as paredes do Ramalhete eram fatais?), desafia...
  • Rita
    2014-07-17
    Okay dou as 3 estrelas, porém podem ser alteradas quando eu compreender melhor a obra em aula.Gostei vá não é assim um bicho de sete cabeças impossível de ler, porém, como não estou habituada a clássicos custou um pouco é verdade, não posso mentir.
  • Cat InTheNet
    2015-09-03
    FINALMENTE. Foi tudo o que pensei quando acabei. Não vou dizer que foi uma leitura péssima, nem uma leitura maravilhosa. Foi chata, teve muita descrição, muita coisa desnecessária mas eu gostei muito do final e como tudo terminou. Houve até uma parte em que me vieram as lágrimas aos olhos, algo que eu nunca esperei depois de estar constantemente a ver quantas páginas faltavam. Continuo a dizer que o livro seria muito melhor se fosse mais ...
  • Núria
    2008-02-29
    'Los Maia' es una gran novela que acaba de una manera perfecta. Es uno de los mejores finales de toda la historia de la literatura. Después que la trama ya se ha resuelto en el penúltimo capítulo, el último capítulo es un epílogo en el que Carlos da Maia vuelve a Lisboa, diez años después de haberse marchado. Él y su amigo Joao da Ega recorren las calles y se encuentran viejas y nuevas caras: todo ha cambiado pero todo sigue igual. Los d...
  • Nick
    2012-07-25
    In "The Maias", Eca de Quieros takes on that familiar European theme, the decline of the Great Family, which is, for example, rendered with great seriousness by Thomas Mann in "Buddenbrooks" and withering scorn by Joseph Roth in "The Radetzky March." Eca de Quieros preceded both Mann and Roth, but like them he sees in that familial disintegration a microcosm of a diseased society, and his vision is even more jaundiced than Roth's. "The Maias" suf...
  • Harry Rutherford
    2009-05-19
    The Maias, by Eça de Queiroz/de Queirós, is a proper doorstop of a C19th novel, over 700 pages long. It’s late C19th, though, 1888. I was trying to think of apt comparisons, and none of them seemed exactly right, but it’s much more George Eliot or Tolstoy than Dickens. Or even early C20th novelists like Forster or Proust. Though the Proust comparison is not so much to do with style as subject matter: the romantic entanglements of wealthy, m...
  • Phillip Kay
    2012-12-14
    José Maria de Eça de Queiroz (1845-1900) is considered Portugal's greatest novelist, and The Maias (1888) his greatest novel. Other books by de Queiroz are The Sins of Father Amaro (1876) and The Illustrious House of Ramires. In a long book (over 600 pages) no detail is forgotten, and a convincing picture of mid 19th century Lisbon is built up. The characters all ring true: I felt I knew them well. The dozens of central characters are all alive...
  • Célia
    2011-09-28
    ReleituraDecidi reler este livro porque sempre achei que a leitura obrigatória quando tinha 17 anos não me permitiu apreciar a obra em toda a sua plenitude. A minha pouca maturidade literária fez com que muitas referências sociais e culturais me passassem ao lado e ficou sempre a sensação que também não apreciei devidamente a escrita. Há algum tempo que queria fazer esta releitura, calhou agora."Os Maias" é um dos livros mais famosos da...
  • Tempo de Ler
    2012-06-26
    {Blog} http://tempodler.blogspot.pt/2012/06/...Eça de Queirós pinta-nos um retrato o mais fiel e abrangente possível da sociedade portuguesa do século XIX - sem pretensões, sem artifícios, mas com uma astúcia que não granjeia muitos. As discussões levadas a cabo por diversas personagens distintas, com os seus próprios pontos de vista e ideais, sejam elas do foro político ou cultural, relativas ao progresso estrangeiro ou à estanquicid...
  • Cristina•●♥Ƹ̵̡Ӝ̵̨̄Ʒ♥●•
    2016-01-21
    "E resta saber por fim se o estilo não é uma disciplina do pensamento. Em verso, o avô sabe, é muitas vezes a necessidade de uma rima que produz a originalidade de uma imagem... E quantas vezes o esforço para completar bem a cadência de uma frase, não poderá trazer desenvolvimentos novos e inesperados de uma ideia... Viva a bela frase!"- Carlos Eduardo da Maia"A única coisa a fazer em Portugal, dizia ele, é plantar legumes, enquanto nã...
  • L.C. Lavado
    2010-05-02
    Um dos meus livros perferidos!Simplesmente maravilhoso.
  • NoConforto Dos Livros
    2017-02-01
    Finalmente! (resenha em breve no blog) :)
  • Nelson Zagalo
    2012-10-14
    Uma epopeia familiar, vista sob um olhar global e multicultural, e ao mesmo tempo tão conhecedora do âmago do ser português, capaz de enaltecer os seus devaneios mais nostálgicos e melancólicos. Merece todos os laudos, e merece ser a luz do nosso cânone. Um texto apenas possível graças ao acesso ao mundo tido por Eça enquanto diplomata, e ainda ao facto de ser escrito já numa fase de grande experiência de vida alcançada, pouco antes d...
  • Nacho
    2012-11-12
    Dice la solapa que este novelón está considerado en Portugal como la gran obra de sus letras, que supone para la literatura de ese país lo que el Quijote para las letras españolas. Creo que está justificado. Lo malo de esa solapa, y también del prólogo del libro, es que en ambos lugares se desvela un detalle argumental clave que en el libro no aparece hasta la página ¡715!. Si a alguien le da por leer el libro después de leer esta rese...
  • Mafalda
    2015-02-08
    Contrariamente ao que toda a gente diz, infelizmente não foi só o primeiro capítulo que me custou a passar. Tive de me obrigar a suportar capítulos em que pouco ou nada parecia acontecer. Mas no entanto, provavelmente afetava pela minha leitura inconstante, já a metade do livro quando me dediquei mais a esta leitura, consegui finalmente entrar neste mundo que Eça brilhantemente criou. A ação principal de Carlos e Maria Eduarda começou a ...
  • Ana
    2012-06-19
    Não querendo recontar a história, para mim este é um marco da literatura portuguesa. A primeira vez que o li fi-lo por ser a leitura obrigatória para a escola mas fiquei de tal forma cativada pelo enredo e pela forma como está escrito que não resisti a relê-lo pouco tempo depois. Tenho pena que a falta de maturidade que por vezes os alunos do secundário têm não lhes permita apreciar convenientemente o livro - isto quando se dão realmen...
  • Gaby
    2015-09-03
    São 3 estrelas mas a puxar para as 3,5.Fiquei muito surpreendida, não esperava um livro assim depois de todos os aspectos negativos que ouvi. Tem muita descrição é verdade mas gostei da história em si. O final foi agridoce mas fez sentido para mim. Pensava que não ia gostar mas o livro surpreendeu-me pela positiva.
  • Iceman
    2012-12-28
    Para mim é extremamente complicado falar, opinar sobre Eça de Queiróz e sobretudo sobre a sua obra prima "Os Maias" (como subtítulo: "Episódeos da vida romântica"), porque simplesmente por muito que fale, divague ou discuta, são poucas as palavras para exprimir o seu génio e a sua grandeza.A minha paixão por Eça de Queiróz vem, ao contrário do que se poderia pensar, dos tempos de liceu quando fui obrigado a ler "Os Maias". Afirmo obri...
  • Adriano Godinho
    2010-02-08
    Não pensava que iria gostar tanto deste livro.Fala-se tanto, é tão conhecido que sempre deixei de lado a leitura completa desta obra porque involuntariamente pensava que nada me poderia espantar nesta história. Como eu me enganei... Adorei a Lisboa desta época, as personagens, a história. Apaixonei-me gravemente por Carlos, Maria, Ega, Afonso e tantos outros... As descrições tão criticadas pelos alunos que estudam esta obra, são desprop...
  • Teresa Abecasis
    2014-12-20
    a história já era conhecida, mas na verdade nunca me tinha dado ao trabalho de ler o livro. na altura da escola, interessava-me muito mais por policiais. ainda bem que o li. não é só por ser ainda uma crítica actual à sociedade portuguesa (crítica que já conhecia), é por ser escrito na minha lìngua, por falar de lugares que agora conheço tão bem, por ser um pouco da história deste país.comecei por viver fora do país, entretanto mu...
  • Victor
    2013-08-04
    "Os Maias" é genial! Um livro sobre o desencanto com a vida e as paixões, como o Ega diz a Carlos no último capítulo: "Falhámos a vida, menino!"...A das mais "interessantes" personagens, Dâmaso Salcede (o lambe-botas, o pulha, o intriguista, o covarde, o traiçoeiro), enfim, aquele que tão bem representa certo tipo de gente, tem um desfecho delicioso (apesar de encornado, vive feliz como aqueles que não falham nos propósitos da vida), es...
  • Catarina
    2012-07-21
    Eça é sem dúvida fantástico a descrever , mas consegue perder a intensidade da acção com esta sua característica. E, a meu ver, isso retira a excitação da intriga, pois por mais que nos consigamos envolver nos pormenores, com todo o visualismo e sinestesias presentes, acabamos por abrandar, em demasia, no desenrolar da acção.A crítica é ácida, mordaz, bem , bem incisiva. Mas, novamente ... acho que perde muito com uma acção tão d...