A Sibila by Agustina Bessa-Luís

A Sibila

A Sibila é um romance de Agustina Bessa-Luís. Sibila, que remete para a figura clássica da Sibila de Delfos, significa adivinha e refere-se à personagem Joaquina Teixeira, a Quina.O livro não se atreve a narrar a história do nascimento à morte da protagonista, mas conta a vida de duas gerações anteriores da família Teixeira e duma posterior e ainda de outras famílias e amigos próximos desta. Narra conspirações, corrupções e intrig...


Details A Sibila

TitleA Sibila
ISBN9789726653134
Author
Release DateNov 27th, 1998
PublisherGuimarães Editores
LanguagePortuguese
GenreCultural, Portugal, Romance, European Literature, Portuguese Literature, Fiction
Rating

Reviews A Sibila

  • Luís C.
    2014-08-23
    Agustina Bessa-Luís is considered one of the greatest revelations of the modern and contemporary literature of Portugal. A Sibila, a 1954 novel, received with enthusiasm by critics, becomes the starting point for a vast work focused on universal themes that, at the same time, are inserted in the slopes of Portuguese nationalism, as well as regionalism. In A Sibila, the author perfectly marries past and present times, putting the doubts, anguish,...
  • Célia Loureiro
    2013-03-27
    De vez em quando, acontece-me ler um livro no qual perco o pé. Em relação à “Sibila”, da Agustina Bessa-Luís, julguei-me na eminência de me afogar. A cerca de setenta páginas do fim (é um livro pequeno, de 248 páginas) recuperei esse pé, e tornou-se um gosto nadar por estas águas. Perguntei-me, inclusive, o que se terá passado nas restantes páginas para que lhes tivesse tamanho alheamento. Já próximo do fim identifiquei o facto...
  • Paulo Hora
    2015-11-02
    Quando uma escritora estrangeira perguntou a Agustina Bessa-Luís, numa conferência internacional, “a sua obra é assim mais ou menos como o quê? Para me situar...”, esta respondeu-lhe: “É assim mais ou menos como o Dostoievsky.”E, por muito insolente que possa parecer a afirmação, percebe-se a semelhança: cenários descritos com uma vivacidade fulminante e a natureza humana retratada nos seus aspetos mais íntimos. Em Síbila não ...
  • Isabel
    2016-03-02
    "São os espíritos superficiais que mais crêem nos êxitos retumbantes, nas formulas fáceis para vencer, pois isso lhes lisonjeia a incapacidade e a fraqueza da vontade. Os lances engenhosos, em que se torce a moral para obter um mais rápido efeito, conseguem grande público. Mas a vida, cujas leis são infinitamente mais sóbrias, mais puras do que as dos homens, não os aceita."
  • Susana
    2017-09-19
    Não gosto de desistir dum livro. Sobretudo dum livro que recebeu prémios, duma autora portuguesa conceituada, de quem ainda não tinha lido nenhuma obra.Tenho, até, alguma dificuldade em perceber - e explicar - duma forma objectiva as razões pelas quais decidi deixá-lo, já quase a meio.A escrita é, em geral, boa, rica e elaborada, com muitas palavras "difíceis". Isto normalmente não me assusta nem desanima, mas depois de passar as primei...
  • Sara Jesus
    2017-07-26
    Siblia era uma profetiza na Antiguidade Clássica. Um grupo de mulheres que se reuniam no Oráculo dos Delfos para aconselharem pessoas poderosas. Grandes reis pediam conselhos as Siblias de modo a evitar grandes tragédias.Neste livro de Bessa Luís, a Sibilia toma forma de duas mulheres de gerações diferentes. A primeira é Quina, uma mulher independente que consegue fortuna sem nenhum homem as suas costas. As pessoas a chamam Sibilia e pedem...
  • Pequete
    2008-06-02
    Este foi o 1º livro de sucesso da Agustina e tb. o 1º que eu li dela. Fez-me lembrar muito o universo dos "Cem anos de Solidão" do Gabriel Garcia Marquez, mas numa versão mais feminina e portuguesa. Muito bom.
  • Joao Correia
    2013-07-02
    This book was used as a torture instrument by the Portuguese state during my last year of high-school. I believe it still is used today, as a strategic tool, in the extremely successful quest by the Portuguese State of exterminating any interest young people might have in literature. It was a awful experience. The book is written in an overly descriptive verbose way. The story is extremely boring and uninteresting. Basically it tells the story of...
  • Maria
    2012-08-20
    "Criei-te para isto; para vir olhar estes espelhos manchados, e chorar, porque vejo neles a morte de tanta coisa que eu julgava que duraria para sempre".
  • Miguel Teles
    2018-03-04
    O que me cansou lendo Agustina, vendo a Sibila, foi essa arrogante omnisciência de plastrar nos seus aforismos sentenciosos uma visão puramente determinística do homem.'Mas alguém é culpado de alguma coisa? Canas ao vento, folhas que rolam, flores esmagadas, areias que se dispersam... É-se vencido, chora-se, morre-se, desiste-se; e é terrível ser vencedor."Esse carpir constante de relatórios psicológicos, ríspidos e secos, desencalorad...
  • Ricardo
    2017-10-26
    Se um romance literário tem como objetivo dar a conhecer um pouco da natureza humana, este é um dos mais bem sucedidos neste aspeto que alguma vez li. Agustina acompanha a história da vida de Quina, uma proprietária rural em ascendência, cujos traços pessoais de sensatez e avareza levam-na a acumular uma pequena fortuna, despertando a imaginação desse mundo camponês que a apelida de Sibila.Agustina, como autora, caracteriza a consciênci...
  • Queirosiana
    2012-03-04
    "- Se alguém a ofendesse muito, perdoava, retribuía ou esquecia?- Perdoava a uma criança, retribuía a uma mulher; tratando-se de homem, esquecia".Este é um livro especial.Demorei um certo tempo a lê-lo porque os exames meteram-se pelo meio.Nesta obra encontrei das personagens mais completas de todos os livros que li até hoje. Quina, a personagem principal, é das melhores de sempre. Este livro dá muito ênfase à figura feminina, dá-lhe ...
  • Ricardo Alves
    2014-08-24
    Logo nas primeiras três ou quatro páginas de A Sibila (1954), temos um universo já delimitado, com várias camadas epocais. Um daqueles milagres de talento, surgido da pena duma jovem escritora, com pouco mais de trinta anos.Uma das coisas que me agrada em Agustina Bessa Luís é a enorme consistência enquanto autora enraizada na sua matriz histórica e cultural, mas, ao mesmo tempo, plena de mundo e de sofisticação, muito ao contrário do ...
  • Nuno Neves
    2017-06-14
    Este livro foi, ao longo dos últimos 3 meses, o meu livro de mesa de cabeceira. Foi este livro que foi acompanhando o meu 3º semestre na Faculdade, mesmo que a minha leitura nem sempre tenha sido regular. Não posso dizer que li o livro com o máximo de atenção ou que fiquei perdidamente fascinado por ele. Não foi isso que aconteceu. No entanto, gostei da leitura que fiz. Nunca tinha lido nenhum livro de Agustina e acho que comecei bem. A ...
  • Ana Castro
    2018-02-26
    Grande escritora ! As suas descrições das personagens e do ambiente duma grande casa agrícola do Norte do País são duma fidelidade absoluta . Estamos a vê-las, a senti-las a cheira-las . Agustina conta o que viu na sua infância , a história de tias, avós e familiares num ambiente rural da região nortenha . Lento, pormenorizado, mas que não enfada. Gostei muito .
  • Craig
    2012-06-28
    Um livro desafiante, lutava para ligar o título para o enredo apesar de um capítulo em que Quina convenceu o povo que é sibila. Mas a linguagem é para sumir-se como leitor e experimentar na vida dela.
  • Sofia Castro
    2014-10-07
    My most hated book.
  • Melisand
    2009-07-01
    I think when I read it, I wasn't mature enough to appreciate the reading.
  • João Cruz
    2014-08-24
    Gostei muito. É pena não haver neste romance um homem que preste... :-)
  • Monica Spicciani
    2015-01-13
    Che fatica! - Um esforço! (a tradução em Português do comentário fica para abaixo)http://lemieletturecommentate.blogspo... Eccomi qua con un altro souvenir di Lisbona. Temo che il commesso della Libreria Bertrand in questo caso abbia sopravvalutato la mia lusofonia, consigliandomi un classico della loro letteratura con un linguaggio ricco e spesso un po' arcaico. Non avevo mai avuto a che fare con una lingua portoghese così ricca di vocabo...
  • Dario Andrade
    2018-05-17
    Comecei a ler a Agustina com enormes expectativas. Ela fora várias vezes muito recomendada pelo João Pereira Coutinho, colunista da Folha de S. Paulo. Segundo ele, ela é algo raro na literatura de um país, difícil de se repetir, uma espécie de monumento literário português, a melhor romancista portuguesa do século XX e, além disso, desconhecida dos leitores brasileiros. Como respeito a opinião do Coutinho, comecei a lê-lo com grande ...
  • Pedro Henriques
    2018-07-14
    1.Agustina é uma grande escritora. Isto é indiscutível, há uma facilidade em desenvolver a prosa só ao alcance de quem leu muito e de quem tem efetivamente o dom, a vocação da escrita. Tinha 32 anos quando escreveu este livro que mais parece ser produto não de uma jovem mas de uma velha sábia que já viu tudo da vida. A sua Capacidade de recriar um ambiente que lhe é próximo e doá-lo ao campo ficcional, torna A Sibila uma obra prima d...
  • Pi.
    2018-03-02
    Un libro de club de lectura total que se aprecia mejor después de algunas explicaciones y exaltando detalles. Es un clásico de la literatura portuguesa con un vocabulario de fin de siglo que supera con creces mi vocabulario portugués (y también el de un portugués promedio) así que la mia fue apenas una primera lectura corrida con perdida de detalles y limitada a la narrativa más prominente. Aún así, pude apreciar los personajes y las ní...
  • Pedro Marques
    2018-08-06
    O primeiro e único livro da Agustina que li até hoje(fazia parte do plano curricular da altura em que estudava), talvez pela forma densa nunca mais entrei no mundo da Agustina Bessa-Luis, mas passados mais de 20 anos da sua leitura ainda recordo não apenas a estória como os personagens principais.Longa vida a Agustina Bessa-Luís!
  • João Vaz
    2018-06-22
    Agustina, que Saramago tão justamente apelida de o Balzac português, tal é a minuciosa descrição de personagens trágico-cómicas, não da sociedade parisiense, mas antes do arquétipo luso, narra em A Sibila a trajetória da família Teixeira e da sua casa secular, a Vessada. Enfim, os mal-avindos campesinos de burgueses falidos nessas terras desgraçadas no Norte de Portugal por altura da implantação da República. Não só são as descr...
  • Jacqueline Lima
    2018-07-17
    Sei que fica mal escrever que odiei este romance, mas é verdade. Li-o e analisei-o até à exaustão quando estava no 12. Ano e saiu me no exame. Talvez nao tenha percebido mesmo assim, o que eu sei é que detestei lê-lo...
  • Fernando Pereira
    2017-10-23
    Lê-se!